Doação de órgãos

doacao-de-orgaos-consciencia290817

No Hospital do Rim temos a equipe de captação de órgãos da Escola Paulista de Medicina, com o nome de Organização de Procura de Órgãos (OPO-EPM).

Esta equipe é responsável pela organização do processo que se inicia com o diagnóstico de morte encefálica, consentimento familiar e retirada de órgãos, na região demarcada pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, que corresponde a 75 hospitais. Os plantonistas e os enfermeiros deste Hospital também participam do processo.

Para que este sistema de captação funcione muito bem a equipe tem suas atividades voltadas para periódicas visitas hospitalares, esclarecimento e informação junto à população por meio de campanhas e eventos organizados com a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO); palestras para estudantes de primeiro e segundo grau, estudantes de enfermagem, medicina, fisioterapia, educação física e direito; cursos e aulas para profissionais dos diversos hospitais, além da própria atividade da captação de órgãos.

Portanto, este setor tem contribuição primordial para consolidar o processo de doação de órgãos e tecidos no Brasil como uma atividade eticamente justa, através da transparência de nossas ações.


Como posso ser doador?

No Brasil, para ser doador de órgãos e tecidos, não é necessário deixar nada por escrito. Basta avisar sua família, dizendo: “Quero ser doador de órgãos.” A doação de órgãos e tecidos só acontece após a autorização familiar documentada. Quando a pessoa não avisa, a família fica em dúvida.

Como posso ter certeza do diagnóstico de morte encefálica?

O diagnóstico de morte encefálica faz parte da legislação nacional do conselho Federal de Medicina. Dois Médicos de diferentes áreas examinam o paciente e fazem o diagnóstico clínico de morte encefálica. Um exame gráfico, como ultrassom com Doppler ou arteriografia e eletroencefalograma (EEG), é realizado para comprovar que o encéfalo já não funciona.

Para quem vão os órgãos e tecidos?

Os órgãos são transplantados para os primeiros pacientes compatíveis que estão aguardando em lista única da central de transplantes da Secretaria de saúde de cada estado. Esse processo, além de justo, é controlado pelo Sistema Nacional de Transplantes e supervisionado pelo Ministério Público.

 

Central de transplantes de SP: 3064-1649

Central Nacional de transplantes: 0800 6646 445

ABTO: (11) 3283-1753/ 3262-3353

OPO EPM: 5572-8749

www.abto.org.br

DOE ÓRGÃOS. INFORME SUA FAMÍLIA

 

 

Deixe uma resposta