MEC – Hospital de Ensino

O que é Hospital de Ensino?

mecÉ um “espaço de referência da atenção à saúde para alta complexidade, a formação de profissionais de saúde e desenvolvimento tecnológico…”
(Portaria GM/MS 1702/2004).

 

Qual o seu foco?

– Melhores práticas
– Avaliação permanente
– Compromisso de todos
– Transparência da informação

 

Qual a sua abrangência?

“Os campos de prática de ensino e de pesquisa em saúde abrangem todos os espaços de produ-ção das ações e serviços de saúde, da promoção junto à coletividade ao atendimento nas unidades ambulatoriais e hospitalares”.
(Portaria GM/MS n° 1.702/2004 )

A abrangência dos Hospitais de Ensino envolve todas as instâncias de assistência à saúde do SUS de forma articulada e integrada, onde atua como polo importante de formação de profissionais para a saúde.

 

Quais as vantagens da certificação?

Receber um “selo de qualidade”, que reconhece a instituição como adequada para o desenvolvimento de boas práticas assistenciais e educativas.

Contar com um recurso ministerial de incentivo para ações de melhorias nas diversas áreas do Hospital, que poderá ser investido em projetos tais como:
– Qualificação da gestão
– Capacitação dos gestores
– Aquisição de equipamentos e materiais
– Criação de novos serviços
– Ensino: educação permanente e continuada

ONA

O que é Acreditação

onaAcreditação é um sistema de avaliação periódico da qualidade de um serviço de saúde, com base em padrões e normas pré-estabelecidas. Ele visa a melhoria na qualidade do atendimento prestado e tem caráter eminentemente educativo, voltado para a melhoria contínua, sem finalidade de fiscalização ou controle oficial.

Quem nos Acreditou

A Organização Nacional de Acreditação é uma instituição não governamental e sem fins lucrativos que tem por objetivo promover a implantação de um processo permanente de avaliação e de certificação da qualidade dos serviços de saúde, permitindo o aprimoramento contínuo da atenção, de forma a melhorar a qualidade da assistência em todas as organizações prestadoras de serviços de saúde do País. Neste processo fomos avaliados pelo Instituto Qualisa de Gestão (I.Q.G.), empresa líder do mercado de certificação e implementação de programas de gestão de qualidade do segmento saúde, com uma estrutura construída ao longo de mais de 15 anos

Nossas conquistas:

Em 2003 conquistamos os padrões do Nível 1ou Acreditado. Essa avaliação tem foco na segurança do paciente. Segurança que será garantida na manutenção da estrutura dos processos, através de políticas institucionais para garantia da estrutura física, pessoas, materiais, equipamentos, fluxos e processos de trabalho (protocolos clínicos), qualidade dos registros e a sustentação de uma cultura para qualidade e segurança

Em 2005 alcançamos o Nível 2 ou Acreditado Pleno etapa que analisa cuidadosamente o processo da assistência. A garantia do desenho através da interação entre todos os processos envolvidos no cuidado.
Em 2014, atingimos o Nível 3 ou Acreditado com Excelência, que amplia a avaliação para o entendimento do uso das informações para tomada de decisão. Analisa os resultados e o impacto das intervenções na população atendida e ajusta os resultados ao perfil epidemiológico.

PALC

palcAcreditação é um processo voluntário em que uma instituição, governamental ou não, avalia um laboratório através de uma auditoria e determina se ele atende a requisitos predeterminados para exercer as tarefas a que se propõe. Dentre vários objetivos esse processo pretende garantir a qualidade dos serviços prestados.

Os requisitos são fundamentados em normas específicas de qualidade que contemplam as atividades laboratoriais — por exemplo: atendimento à legislação vigente, atendimento ao cliente, realização de exames, validade dos reagentes e produtos utilizados, calibração de aparelhos, rastreabilidade do processo, capacitação da equipe e outros.

Atualmente, a acreditação no Brasil não é obrigatória. O laboratório pode escolher o órgão acreditador, baseando-se em sua credibilidade, experiência e no conhecimento técnico de seus auditores. Estes incentivam a equipe do laboratório, a alta direção e gerência a alcançarem níveis cada vez mais elevados de qualidade e melhoria contínua.

Em 1998, a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) criou o Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC).

O programa da SBPC/ML realiza auditorias “por pares” — profissionais com conhecimento e vivência na área de laboratórios — o que possibilita a troca de experiências entre auditores e o laboratório auditado.

Após a auditoria, a Comissão de Acreditação de Laboratórios Clínicos (CALC) da SBPC/ML avalia a documentação e as informações coletadas pelos auditores e aprova a acreditação.

A SBPC/ML divulga o PALC entre seus associados, compradores de serviços, médicos e público em geral para valorizar e reconhecer os laboratórios que demonstram um efetivo compromisso com a qualidade.

FDA

O setor de pesquisa clínica em transplante renal foi criado em 1998. Desfdade então desenvolveu mais de 60 estudos clínicos nacionais e internacionais com a participação de mais de 3000 receptores de transplante de rim. Os estudos clínicos realizados incluem a pesquisa de novas drogas imunossupressoras em todas as fases de desenvolvimento clínico, além de projetos diretamente destinados à população local e projetos de interesse acadêmico. A qualidade dos resultados foi confirmada em diversas auditorias internacionais além de duas inspeções pelo Food and Drug Admnistration (FDA) e da Agencia de Vigilância Sanitária (ANVISA), contribuindo para a aprovação regulatória de diversas drogas atualmente utilizadas pelos nossos pacientes.

A equipe responsável pela condução dos estudos é especializada e capacitada em todas as áreas relacionadas à pesquisa clínica, incluindo aspectos regulatórios, éticos, de farmacovigilância e de boas práticas clínicas. Além disso, durante esse período mais de 106 profissionais de diversas áreas foram treinados e capacitados pelo setor de pesquisa clinica, sendo absorvidos imediatamente por organizações privadas de pesquisa clínica, centros acadêmicos de pesquisa e pela indústria farmacêutica.

Coordenadora pelo Programa de Pesquisa Clínica em transplante renal: contato com Claudia Felipe 5087-8000 Ramal: 8113